"Todo jardim começa com um sonho de amor. Antes que qualquer árvore seja plantada, ou qualquer lago seja construído é preciso que as árvores e os lagos tenham nascido dentro da alma.Quem não tem jardim por dentro, não planta jardim por fora. E nem passeia neles". Rubem Alves

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Dust in the wind





Dust In The Wind
Poeira no Vento
I close my eyes
Eu fecho meus olhos
Only for a moment
apenas por um momentoAnd the moment's gone
E o momento se foi
All my dreams
Todos os meus sonhosPass before my eyes, a curiosity
passa diante dos olhos uma curiosidade
Dust in the wind
Poeira no ventoAll they are is dust in the wind
Tudo que eles são é poeira no vento
Same old song
A mesma velha música
Just a drop of water
Apenas uma gota de água
In an endless sea
Em um mar infinito
All we do
Tudo o que fazemosCrumbles to the ground
destroçando cai em pedaços
Though we refuse to see
Embora nós nos recusamos a ver
Dust in the wind
Poeira no vento
All we are is dust in the wind, ohh
Todos nós somos é poeira ao vento, ohh
Now, don't hang on
Agora, não "espere ai!"Nothing lasts forever
Nada dura para sempre
But the earth and sky
Apenas o céu e a terra..
It slips away
Isso vai emboraAnd all your money
E todo o seu dinheiro
Won't another minute buy
Não comprará outro minuto
Dust in the wind
Poeira no vento

All we are is dust in the wind
Tudo que somos é poeira no vento
Dust in the wind
Poeira no ventoEverything is dust in the wind
Tudo é poeira no vento
The wind
O vento....

sábado, 30 de outubro de 2010

Aquele Amor...











AQUELE AMOR

Ela pertence à espécie de mulheres que possuem um só amor em toda a sua vida. Ou amam de verdade apenas uma vez. Seria espécie de mulheres ou a maioria assim o é, mesmo sem o saber?

Também há homens de eterno amor, embora o machismo e as deformações de sua cultura e comportamento nem sempre os convença de tal. Ou não convença a maioria. Ou será que o fato de serem colocadores de semente por determinismo biológico os leva a não prestar a devida atenção à sua destinação para o amor?

No meio da conversa ela diz, de repente, que só gostou de verdade de um homem e eis que vai buscar lá entre papéis amassados, daqueles que esturricam o couro das carteiras, não um mas três retratos dele, que espalha, qual cartas de baralho, sobre a mesa do restaurante.

E fala dele com a mistura de ternura e tristeza que assaltam as mulheres que não lograram viver com o seu amor, casar-se com ele, ter seus filhos, viver em função dele e dela, unidos, pois esta é a verdadeira vontade e destinação da mulher: viver ao lado do verdadeiro amor.

Sim, elas vivem de modo proibido se necessário, casam-se com outro, têm filhos, os amam fundamente, mas a verdade de seu ser é a do amor verdadeiro, até porque mulher vive para amar e por amor, o resto se ajeita.

Podem até deixar seu amor dormitar por anos e parecer serenado. Volta, porém a qualquer apelo ou menção do nome dele, encontro fortuito na rua com um conhecido dos tempos do namoro ou da relação.

Como são comoventes e lindas na sua integralidade bíblica as mulheres quando expressam para os demais ou para si mesmas, o amor de suas vidas ou quando consultam, escondido, os retratos guardados, recortes, flores secas, a memória úmida das restantes lembranças em momentos de silêncio e solidão!

Abençoados sejam, porque são, os homens e as mulheres que na passagem por esta vida receberam um dia de alguém, ou deram, um amor único, original e definitivo. Abençoados sejam e para todo o sempre. Como o amor que existe apesar de todas as ternas e dolorosas circunstâncias que não impedem a sua verdade mas em muitos casos esmagam a sua plena realização.

Arthur da Távola



Reflexões que a insônia me leva a fazer....Por onde anda o Amor ???

Ou melhor, o que as pessoas estão fazendo do verdadeiro amor??



quarta-feira, 6 de outubro de 2010

Sobre o Amor - Carlos Drummond de Andrade



"Amor é o que se aprende no limite,
depois de se arquivar toda ciência
herdada, ouvida. Amor começa tarde."
CDA




QUERO

Quero que todos os dias do ano
todos os dias da vida
de meia em meia hora
de 5 em 5 minutos
me digas: Eu te amo.

Ouvindo-te dizer: Eu te amo,
creio, no momento, que sou amado.
No momento anterior
e no seguinte,
como sabê-lo?

Quero que me repitas até a exaustão
que me amas que me amas que me amas.
Do contrário evapora-se a amação
pois ao não dizer: Eu te amo,
desmentes
apagas
teu amor por mim.

Exijo de ti o perene comunicado.
Não exijo senão isto,
isto sempre, isto cada vez mais.
Quero ser amado por e em tua palavra
nem sei de outra maneira a não ser esta
de reconhecer o dom amoroso,
a perfeita maneira de saber-se amado:
amor na raiz da palavra
e na sua emissão,
amor
saltando da língua nacional,
amor
feito som
vibração espacial.
No momento em que não me dizes:
Eu te amo,
inexoravelmente sei
que deixaste de amar-me,
que nunca me amastes antes.

Se não me disseres urgente repetido
Eu te amoamoamoamoamo,
verdade fulminante que acabas de desentranhar,
eu me precipito no caos,
essa coleção de objetos de não-amor.


Amor e seu Tempo

Amor é privilégio de maduros
Estendidos na mais estreita cama,
Que se torna a mais larga e mais relvosa,
Roçando, em cada poro, o céu do corpo.

É isto, amor: o ganho não previsto,
O prêmio subterrâneo e coruscante,
Leitura de relâmpago cifrado,
Que, decifrado, nada mais existe

Valendo a pena e o preço do terrestre,
Salvo o minuto de ouro no relógio
Minúsculo, vibrando no crepúsculo.

Amor é o que se aprende no limite,
Depois de se arquivar toda a ciência
Herdada, ouvida. amor começa tarde.


As Sem-Razões do Amor

Eu te amo porque te amo,
Não precisas ser amante,
e nem sempre sabes sê-lo.
Eu te amo porque te amo.
Amor é estado de graça
e com amor não se paga.

Amor é dado de graça,
é semeado no vento,
na cachoeira, no eclipse.
Amor foge a dicionários
e a regulamentos vários.

Eu te amo porque não amo
bastante ou demais a mim.
Porque amor não se troca,
não se conjuga nem se ama.
Porque amor é amor a nada,
feliz e forte em si mesmo.

Amor é primo da morte,
e da morte vencedor,
por mais que o matem (e matam)
a cada instante de amor.



Para viver um grande amor

É preciso abrir todas as portas que fecham o coração.
Quebrar barreiras construídas ao longo do tempo,
Por amores do passado que foram em vão
É preciso muita renúncia em ser e mudança no pensar.
É preciso não esquecer que ninguém vem perfeito para nós!
É preciso ver o outro com os olhos da alma e se deixar cativar!
É preciso renunciar ao que não agrada ao seu amor...
Para que se moldem um ao outro como se molda uma escultura,
Aparando as arestas que podem machucar.
É como lapidar um diamante bruto... para fazê-lo brilhar!
E quando decidir que chegou a sua hora de amar,
Lembre-se que é preciso haver identificação de almas!
De gostos, de gestos, de pele...
No modo de sentir e de pensar!
É preciso ver a luz iluminar a aura,
Dando uma chance para que o amor te encontre
Na suavidade morna de uma noite calma...
É preciso se entregar de corpo e alma!
É preciso ter dentro do coração um sonho
Que se acalenta no desejo de: amar e ser amado!
É preciso conhecer no outro o ser tão procurado!
É preciso conquistar e se deixar seduzir...
Entrar no jogo da sedução e deixar fluir!
Amar com emoção para se saber sentir
A sensação do momento em que o amor te devora!
E quando você estiver vivendo no clímax dessa paixão,
Que sinta que essa foi a melhor de suas escolhas!
Que foi seu grande desafio... e o passo mais acertado
De todos os caminhos de sua vida trilhados!
Mas se assim não for...
Que nunca te arrependas pelo amor dado!
Faz parte da vida arriscar-se por um sonho...
Porque se não fosse assim, nunca teríamos sonhado!
Mas, antes de tudo, que você saiba que tem aliado.
Ele se chama TEMPO... seu melhor amigo.
Só ele pode dar todas as certezas do amanhã...
A certeza que... realmente você amou.
A certeza que... realmente você foi amado."



Além da terra, além do céu


Além da Terra, além do Céu,
no trampolim do sem-fim das estrelas,
no rastro dos astros,
na magnólia das nebulosas.
Além, muito além do sistema solar,
até onde alcançam o pensamento e o coração,
vamos!
vamos conjugar
o verbo fundamental essencial,
o verbo transcendente, acima das gramáticas
e do medo e da moeda e da política,
o verbo sempreamar,
o verbo pluriamar,
razão de ser e de viver.


Amor Antigo



O amor antigo vive de si mesmo,
não de cultivo alheio ou de presença.
Nada exige, nem pede. Nada espera,
mas do destino vão nega a sentença.


O amor antigo tem raízes fundas,
feitas de sofrimento e de beleza.
Por aquelas mergulha no infinito,
e por estas suplanta a natureza.


Se em toda parte o tempo desmorona
aquilo que foi grande e deslumbrante,
o antigo amor, porém, nunca fenece
e a cada dia surge mais amante.


Mais ardente, mas pobre de esperança.
Mais triste? Não. Ele venceu a dor,
e resplandece no seu canto obscuro,
tanto mais velho quanto mais amor...

Carlos Drummond de Andrade
CDA
***

“Entre a raiz e a flor há o tempo”
CDA




Se procurar bem, você acaba encontrando
não a explicação (duvidosa) da vida, mas
a poesia (inexplicável) da vida.

CDA


06 de outubro...

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Rubem Alves - Fragmentos









"A saudade abre as portas para os lugares mais fechados, e mais belos de nossas mentes.
Até o silêncio torna-se aliado da saudade...
Um quarto silencioso é o local mais apropriado para que essa tal da saudade apareça...
E ela vem...
Medindo o amor...
E dizendo “você não cabe em um lugar tão pequeno!
Precisa sair” e o amor sai...
Derrama-se pelo rosto e o “buraco dolorido na alma” fica maior..."


"Uma pessoa fica enfeitiçada quando se torna incapaz de amar.
E, para isto, não existe nada mais forte que um espelho.
O espelho faz com que as pessoas só se vejam a si mesmas.
E quem só vê o próprio reflexo, não consegue amar.
Adoece, morre."


"Contra o feitiço do espelho só existe um remédio:
é preciso redescobrir o amor.
Ficar de novo apaixonado.
Somente o amor tem poder suficiente
para arrancar as pessoas da armadilha do espelho.
Mas não há receitas...
Somente quem ama a pessoa enfeitiçada
pode salvá-la."


"Aquilo que está escrito no coração não necessita de agendas,
porque a gente não esquece.
O que a memória ama fica eterno. "


"Saudade é um buraco dolorido na alma.
A presença de um ausência.
A gente sabe que alguma coisa está faltando.
Um pedaço de nós foi arrancado.Tudo fica ruim.
A saudade fica uma aura que nos rodeia.
Por onde quer que a gente vá,ela vai também.
Tudo nos faz lembrar a pessoa querida.
Tudo que é bonito fica triste,pois o bonito sem a pessoa amada é sempre triste.
Aí então, a gente aprende o que significa amar: esse desejo pelo reencontro que trará a alegria de volta.
A saudade se parece muito com a fome.
A fome também é um vazio.
O corpo sabe que alguma coisa está faltando.
A fome é a saudade do corpo.
A saudade é a fome da alma. "

"Um único momento de amor, justifica a vida inteira"

"Cada momento de beleza vivido e amado,por efêmero que seja,
é uma experiência completa que esta determinada à eternidade.
Um único momento de beleza e amor justifica a vida inteira"


"(...)O amor é sempre uma súplica de eternidade.
Que aquilo que se perdeu me seja devolvido!
Assim reza o amor – sempre...”


Não, eu não quero prazer!
...Prazer é coisa de receita fácil, mora no corpo.
Mas alegria é coisa mais sutil,
mora na alma, no lugar das fantasias e da saudade.
Há um jeito fácil de saber se o que se sente é prazer ou alegria.
Basta prestar atenção no corpo.
Se ele for ficando cada vez mais pesado,
é prazer.
Se for ficando cada vez mais leve,
é alegria.

Carpe Diem" quer dizer "colha o dia".

Colha o dia como se fosse um fruto maduro que amanhã estará podre.

A vida não pode ser economizada para amanhã.

Acontece sempre no presente.



Rubem Alves



sábado, 28 de agosto de 2010

Caio Fernando Abreu - Fragmentos and Eva Cassidy







"Gosto de pessoas doces, gosto de situações claras - e por tudo isso ando cada vez mais só."



"Não espero nenhum olhar, não espero nenhum gesto, não espero nenhuma cantiga de ninar. Por isso estou vivo. Pela minha absoluta desesperança, meu coração bate ainda mais forte. Quando não se tem mais nada a perder, só se tem a ganhar. Quando se pára de pedir, a gente está pronto para começar a receber. O futuro é um abismo escuro, mas pouco importa onde terminará a minha queda. De qualquer forma, um dia seremos poeira. Quem é você? Quem sou eu? Sei apenas que navegamos no mesmo barco furado, e nosso porto é desconhecido. Você tem seus jeitos de tentar. Eu tenho os meus."



"A vida é agora, aprende! (...) O pó se acumula todos os dias sobre as emoções."
"Lutar em segredo, fechado no quarto, sem que ninguém saiba. Para os outros, mostrar só o melhor de si, a face mais luminosa."



"O tempo não cura tudo, aliás, o tempo não cura nada, ele apenas tira o incurável do centro das atenções".



"Porque a força de dentro é maior. Maior que todos os ventos contrários."



Que seja doce a espera pelas mensagens, ligações e recadinhos bonitinhos.
Que seja (mais do que) doce a voz ao falar no telefone.
Que seja doce o seu cheiro.
Que seja doce o seu jeito, seus olhares, seu receio.
Que seja doce o seu modo de andar, de sentir, de demonstrar afeto.
Que sejam doces suas expressões faciais, até o levantar de sobrancelha.
Que seja doce a leveza que eu sentirei ao seu lado.
Que seja doce a ausência do meu medo.
Que seja doce o seu abraço.
Que seja doce o modo como você irá segurar na minha mão.
Que seja doce.
Que sejamos doce.
E seremos, eu sei."



Não importa quanto vai durar - é eterno agora.
A vida é agora, aprende.


Caio Fernando Abreu

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

Rumi and Dervixes









Bata,

e Ele irá abrir a porta.

Desapareça,

E Ele o fará brilhar como o Sol.

Caia,

e Ele irá erguê-lo aos céus.

Torne-se nada,

E Ele irá torná-lo tudo.


Mevlana Jalaludin Rumi








Girar...girar...e girar...
concentração total...
equilíbrio...
meditação...
Mente, corpo e espírito em uníssono...

Além é claro de um belo exercício para o chacra base...
(lembrei-me do exercício número um dos Ritos Tibetanos)
quem viver verá....
ou
quem praticar confirmará...

Namaste!
Rose

Esse vídeo recebi de um grande amigo, Luiz !

segunda-feira, 5 de julho de 2010

Me encante









Me encante
Me encante da maneira que você quiser, como você souber.
Me encante, para que eu possa me dar...
Me encante nos mínimos detalhes.
Saiba me sorrir: aquele sorriso malicioso,
Gostoso, inocente e carente.

Me encante com suas mãos,
Gesticule quando for preciso.
Me toque, quero correr esse risco.
Me acarinhe se quiser...
Vou fingir que não entendo,
Que nem queria esse momento.

Me encante com seus olhos...
Me olhe profundo, mas só por um segundo.
Depois desvie o seu olhar.
Como se o meu olhar,
Não tivesse conseguido te encantar...
E então, volte a me fitar.
Tão profundamente, que eu fique perdido.
Sem saber o que falar...

Me encante com suas palavras...
Me fale dos seus sonhos, dos seus prazeres.
Me conte segredos, sem medos,
E depois me diga o quanto te encantei.
Me encante com serenidade...
Mas não se esqueça também,
Que tem que ser com simplicidade,
Não pode haver maldade.

Me encante com uma certa calma,
Sem pressa.
Tente entender a minha alma.
Me encante como você fez com o seu primeiro namorado...
Sem subterfúgios, sem cálculos, sem dúvidas, com certeza.

Me encante na calada da madrugada,
Na luz do sol ou embaixo da chuva....
Me encante sem dizer nada, ou até dizendo tudo.
Sorrindo ou chorando.
Triste ou alegre...

Mas, me encante de verdade, com vontade...
Que depois, eu te confesso que me apaixonei,
E prometo te encantar por todos os dias...
Pelo resto das nossas vidas!!!


Autora: Silvana Duboc

terça-feira, 15 de junho de 2010

Cecília Meireles







Cecília Meireles

Um pouco do muito de Cecília, amo muito seus poemas...leio todos os dias pelos menos um...minha alma se identifica, demais !!

Emocione-se!!!

Rose

MOTIVO


Eu canto porque o instante existe
e a minha vida está completa.
Não sou alegre nem sou triste:
sou poeta.


Irmão das coisas fugidias,
não sinto gozo nem tormento.
Atravesso noites e dias
no vento.

Se desmorono ou se edifico,
se permaneço ou me desfaço,
— não sei, não sei. Não sei se fico
ou passo.

Sei que canto. E a canção é tudo.
Tem sangue eterno a asa ritmada.
E um dia sei que estarei mudo:
— mais nada.

* * * * * *

LEI

O que é preciso é entender a solidão!
O que é preciso é aceitar, mesmo, a onda amarga que leva os mortos.

O que é preciso é esperar pela estrela
que inda não está completa.

O que é preciso é que os olhos sejam cristal sem névoa, e os lábios de ouro puro.

O que é preciso é que a alma vá e venha;
e ouça a notícia do tempo.
e, entre os assombros da vida e da morte,
estenda suas diáfanas asas,
isenta por igual,
de desejo e de desespero.


* * * * * *

Tu Tens um Medo

Acabar.
Não vês que acabas todo o dia.
Que morres no amor.
Na tristeza.
Na dúvida.
No desejo.
Que te renovas todo dia.
No amor.
Na tristeza
Na dúvida.
No desejo.
Que és sempre outro.
Que és sempre o mesmo.
Que morrerás por idades imensas.
Até não teres medo de morrer.
E então serás eterno.
Não ames como os homens amam.
Não ames com amor.
Ama sem amor.
Ama sem querer.
Ama sem sentir.
Ama como se fosses outro.
Como se fosses amar.
Sem esperar.
Tão separado do que ama,
em ti,
Que não te inquiete
Se o amor leva à felicidade,
Se leva à morte,
Se leva a algum destino.
Se te leva.
E se vai, ele mesmo...
Não faças de ti
Um sonho a realizar.
Vai.Sem caminho marcado.
Tu és o de todos os caminhos.
Sê apenas uma presença.
Invisível presença silenciosa.
Todas as coisas esperam a luz,
Sem dizerem que a esperam.
Sem saberem que existe.
Todas as coisas esperarão por ti,
Sem te falarem.Sem lhes falares.
Sê o que renunciaAltamente:
Sem tristeza da tua renúncia!
Sem orgulho da tua renúncia!
Abre as tuas mãos sobre o infinito.
E não deixes ficar de ti
Nem esse último gesto!
O que tu viste amargo,
Doloroso,
Difícil,
O que tu viste inútil
Foi o que viram os teus olhos
Humanos,
Esquecidos...
Enganados...
No momento da tua renúncia
Estende sobre a vida
Os teus olhos
E tu verás o que vias:
Mas tu verás melhor......
E tudo que era efêmero
se desfez.
E ficaste só tu,
que é eterno.


* * * * * *

RETRATO

Eu não tinha este rosto de hoje,
assim calmo, assim triste, assim magro,
nem estes olhos tão vazios,
nem o lábio amargo.
Eu não tinha estas mãos sem força,
tão paradas e frias e mortas;
eu não tinha este coração
que nem se mostra.
Eu não dei por esta mudança,
tão simples, tão certa, tão fácil:
— Em que espelho ficou perdida
a minha face?

* * * * * *

DESENHO

FUI MORENA e magrinha como qualquer polinésia,
e comia mamão, e mirava a flor da goiaba.
E as lagartixas me espiavam, entre os tijolos e as trepadeiras,
e as teias de aranha nas minhas árvores se entrelaçavam.

Isso era num lugar de sol e nuvens brancas,
onde as rolas, à tarde, soluçavam mui saudosas...
O eco, burlão, de pedra em pedra ia saltando,
entre vastas mangueiras que choviam ruivas horas.

Os pavões caminhavam tão naturais por meu caminho,
e os pombos tão felizes se alimentavam pelas escadas,
que era desnecessário crescer, pensar, escrever poemas,
pois a vida completa e bela e terna ali já estava.

Com a chuva caía das grossas nuvens, perfumosa!
E o papagaio como ficava sonolento!
O relógio era festa de ouro; e os gatos enigmáticos
fechavam os olhos, quando queriam caçar o tempo.

Vinham morcegos, à noite, picar os sapotis maduros,
e os grandes cães ladravam como nas noites do império.
Mariposas, jasmins, tinhorões, vaga-lumes
moravam nos jardins sussurrantes e eternos.

E minha avó cantava e cosia. Cantava
canções de mar e de arvoredo, em língua antiga.
E eu sempre acreditei que havia música em seus dedos
e palavras de amor em minha roupa escritas.

Minha vida começa num vergel colorido,
por onde as noites eram só de luar e estrelas.
Levai-me aonde quiserdes! -
aprendi com as primaveras
a deixar-me cortar e a voltar sempre inteira.



Despedida

Por mim, e por vós, e por mais aquilo
que está onde as outras coisas nunca estão,
deixo o mar bravo e o céu tranqüilo:
quero solidão.

Meu caminho é sem marcos nem paisagens.
E como o conheces? – me perguntarão.
– Por não ter palavras, por não ter imagens.
Nenhum inimigo e nenhum irmão.

Que procuras? – Tudo. Que desejas? – Nada.
Viajo sozinha com o meu coração.
Não ando perdida, mas desencontrada.
Levo o meu rumo na minha mão.

A memória voou da minha fronte.
Voou meu amor, minha imaginação...
Talvez eu morra antes do horizonte.
Memória, amor e o resto onde estarão?

Deixo aqui meu corpo, entre o sol e a terra.
(Beijo-te, corpo meu, todo desilusão!
Estandarte triste de uma estranha guerra...)

Quero solidão.

segunda-feira, 14 de junho de 2010

You raise me up











You Raise Me Up!

Você me levanta !






When I am down and, oh my soul, so weary;
Quando eu estou abatido, oh minha alma tão cansada

When troubles come and my heart burdened be;
Quando preocupações surgem e meu coração fica carregado

Then, I am still and wait here in the silence,
Então, eu me acalmo e espero aqui em silêncio

Until you come and sit awhile with me.
Até você vir e sentar-se por algum tempo comigo.
You raise me up, so I can stand on mountains;
Você me levanta, de modo que eu posso ficar em pé sobre as montanhas

You raise me up, to walk on stormy seas;
Você me levanta para andar em mares tempestuosos

I am strong, when I am on your shoulders;
Eu sou forte quando estou em seus ombros

You raise me up: To more than I can be.
Você me levanta, mais do que eu posso ser

You raise me up, so I can stand on mountains;
Você me levanta, de modo que eu posso ficar em pé sobre as montanhas

You raise me up, to walk on stormy seas;
Você me levanta para andar em mares tempestuosos

I am strong, when I am on your shoulders;
Eu sou forte quando estou em seus ombros

You raise me up: To more than I can be.
Você me levanta, mais do que eu posso ser
There is no life - no life without its hunger;
Não há vida – não há vida sem este desejo

Each restless heart beats so imperfectly;
Cada batida do coração impaciente, tão imperfeita

But when you come and I am filled with wonder,
Mas quando você chega, eu me surpreendo
Sometimes, I think I glimpse eternity.
As vezes, eu acho ter vislumbrado a eternidade.
You raise me up, so I can stand on mountains;
Você me levanta, de modo que eu posso ficar em pé sobre as montanhas

You raise me up, to walk on stormy seas;
Você me levanta para andar em mares tempestuosos

I am strong, when I am on your shoulders;
Eu sou forte quando estou em seus ombros
You raise me up: To more than I can be.
Você me levanta, mais do que eu posso ser


You raise me up, so I can stand on mountains;
Você me levanta, de modo que eu posso ficar em pé sobre as montanhas


You raise me up, to walk on stormy seas;
Você me levanta para andar em mares tempestuosos

I am strong, when I am on your shoulders;
Eu sou forte quando estou em seus ombros
You raise me up: To more than I can be.
Você me levanta, mais do que eu posso ser

domingo, 13 de junho de 2010

Eros e Psique - Fernando Pessoa








"Eros e Psique"
FERNANDO PESSOA




Conta a lenda que dormia
Uma Princesa encantada
A quem só despertaria
Um Infante, que viria
De além do muro da estrada

Ele tinha que, tentado,
Vencer o mal e o bem,
Antes que, já libertado,
Deixasse o caminho errado
Por o que à Princesa vem.

A Princesa adormecida,
Se espera, dormindo espera,
Sonha em morte a sua vida,
E orna-lhe a fronte esquecida,
Verde, uma grinalda de hera.

Longe o Infante, esforçado,
Sem saber que intuito tem,
Rompe o caminho fadado,
Ele dela é ignorado,
Ela para ele é ninguém.

Mas cada um cumpre o Destino -
Ela dormindo encantada,
Ele buscando-a sem tino
Pelo processo divino
Que faz existir a estrada.

E, se bem que seja obscuro
Tudo pela estrada fora,
E falso, ele vem seguro,
E vencendo estrada e muro,
Chega onde em sono ela mora,

E, inda tonto do que houvera,
À cabeça, em maresia,
Ergue a mão, e encontra hera,
E vê que ele mesmo era
A Princesa que dormia.